Arquivo | Casa Arrumada RSS feed for this section

Menos é mais

24 jan

Cena do filme Beleza Americana

Creio que as pessoas não conseguirão se livrar das sacolinhas plásticas, como eu por exemplo (post anterior). Mas o que acontecerá se as sacolinhas forem banidas (como já está acontecendo no estado de SP) do supermercado?

1) A indústria de plásticos se tocará da necessidade das pessoas de terem sacos menores e, portanto haverá a venda deste produto nas gôndolas do supermercado;

2) Os supermercados venderão as sacolinhas biodegráveis por R$0,19 a unidade e o consumo das pessoas quanto ao plástico biodegrável será o mesmo do plástico normal;

3) Dizem que as sacolinhas de plástico já estão implícitas nos preços dos produtos que consumidos. E por acaso com o sumiço delas haverá queda dos preços na compra? Duvido;

3) E o pior de tudo, as pessoas monetariamente desfavorecidas (não é regra geral e não é preconceito)  e/ou sem consciência de higiene jogarão o lixo em locais impróprios sem proteção. E olha que não estou escrevendo nenhum absurdo, já que é fácil ver qualquer tipo de coisa jogada na calçada e em terrenos baldios;

4) O plástico se tornar vilão, sem nenhum porém. Quer queira ou não, o plástico veio por questão de higiene e praticidade, afinal não quebra, não molha e é durável. Tudo tem os prós e os contras;

5)  Não educar a população. Enfiar isso goela abaixo por lei, e não por costume da educação por meio da difusão de informações e cultura. Tá que coisas do tipo algumas vezes funcionam e são necessárias (ex: lei antifumo em locais fechados), mas questões ambientais só são eficazes por meio de cultura que propiciará a mudança de hábito;

6) PRINCIPAL CONSEQUÊNCIA: As pessoas não entenderem que a raiz disso tudo é o consumismo desenfreado.

Tá que a minha vó vivia muito bem sem a sacolinha plástica. Como também vivia sem papel higiênico (era jornal), sem eletricidade (era lamparina e luz do sol), sem fralda descartável e absorvente íntimo (era de pano) e sem leite UHT de caixinha (era tirado direto da vaquinha). Será que você também consegue viver, nos dias de hoje, sem todas essas coisas e muitas outras? Será que é possível voltar ao passado em alguns aspectos e usufruir da tecnologia em outras?  Será que a minha vó consumia o tanto que consumo? Será que dá prá ser feliz sem tanta coisa?

Será o fim do puxa-saco?

23 jan

Depois que vi o vídeo com a entrevista de Claudio Oliver  e o blog La Cucinetta onde a escritora é preocupada com a questão do meio ambiente, fiquei pensando sobre o meu papel como ser social e como não deixar a consciência pesada por ser geradora de tantos problemas para o meio ambiente.

Pois bem, fiquei pensando em formas para poluir menos e minha cabeça entrou em parafuso. E se eu abolisse os saquinhos plásticos de supermercados? Afinal houve uma época em que eu ia munida de ecobags e voltava com as compras sem serem embaladas por plásticos. Em um mês, eu não tinha mais nenhum saquinho de plástico para contar história, ou seja, vi-me sem saquinho para pôr nas lixeiras do banheiro e da cozinha. Alternativas? Saco de jornal, porém eu não compro jornal, leio as notícias que me interessam pela internet e compro livros dos temas em que gosto de me aprofundar. Caramba, sabem o que eu fiz? Usei um saco enorme de loja para acomodar os lixos que tinha e fui imediatamente ao supermercado fazer a compra da semana sem as ecobags.

Será que eu sou tão terrível assim utilizando os saquinhos plásticos? E se eu fizer os saquinhos com papel jornal, como faço para descartar para que seja de fácil recolhimento para os lixeiros? Moro no centro em uma micronete e não tenho como reutilizar a matéria orgânica.

Avaliei isso por diversos aspectos e percebi que o pior ato para o meio ambiente é o desperdício. Porque o desperdício é gasto de energia à toa. Quanto de energia foi utilizado para você ter aquele 54º par de sapato? E a metade do prato de comida que você deixou de consumir? E quinquilharias sem utilidade espalhadas pela casa? Quanta energia foi consumida? E essas quinquilharias jogadas no lixo sem ter ao menos um suspiro de utilização? Será que aquilo que não serve para você, serve para outra pessoa? E os produtos que são embalados em várias camadas de plástico, isopor e papel? Há necessidade?

Eu uso sempre os saquinhos de plásticos no seu limite. Acomodo o máximo de lixo neles. E nenhum saquinho de plástico que adquiro vira banalidade. Tenho cuidado até para que ao carregar as compras eles não furem e tenham serventia para os meus lixinhos. Ainda não consigo ficar sem eles. Não consigo ver alternativas. Procuro na internet. Consigo achar modos de amenizar o problema, pensando no caminho do meio:

1) No lixinho da cozinha ainda vai ser saquinho plástico, pois o conteúdo do lixo é úmido e não dá para dispensá-lo.

2) No lixo do banheiro vou tentar radicalizar para saco de papel e depois amassar e colocar no saco de lixo da cozinha e direto para a lixeira do prédio. Ainda estou pensando se compro jornal ou compro um rolo de papel kraft.

3) Saco plástico maior de lojas e afins para o balde de lixo reciclável.

4) E o melhor de tudo e a solução mais honesta: acabar com o desperdício. Comprar menos, comprar com qualidade, comprar o necessário. Evitar embalagens várias quando dá.

Pois eu não consigo ver a redução do impacto ao meio ambiente negando o saquinho plástico, enquanto o comércio em geral e as grandes indústrias e redes sempre propagarem o consumismo exacerbado que é a chave da questão. Ex: você só estará na moda se tiver a calça modelo carrot na cor chucrute combinando com a blusinha abacate, sapato abóbora e bag da coleção do ano de 2012, por que de 2011 é tão out…e hoje em dia, tem que ter a habilidade de um malabarista para se livrar desses modismos que muitas vezes vêm implícitos em propagandas, em conversas de colegas…eu já fui picada várias e várias vezes por esse bichinho. O que dirá o meu armário de sapatos e potes de hidratante?

Resumindo: eu estou no caminho do meio, com altos e baixos.

Minha hortinha de temperos

16 jan

Quem gosta de provar uma boa comida sabe o verdadeiro valor dos alimentos frescos. E quanta diferença faz um temperinho tirado fresquinho da horta.  

Tá que não é a hortinha de sacada dos sonhos (apesar que sonho lá da estratosfera é um quintal com VÁRIAS PLANTAS e pomares) , mas a felicidade de futuramente poder colocar hortelã, manjericão, cebolinha, tomilho e salsinha fresquinhos na comida é demais!
Comprei na minha ida ao Mercado Municipal de Curitiba na única loja de mudas de lá. Como não tenho utensílios e não gostaria de fazer sujeira na minha kit encarpetada, pedi prá montarem a minha hortinha. Saí com ela pronta por R$30 (faltou a mudinha de salsinha que estava em falta). Cada mudinha sai porR$2,00. Além dessas que eu comprei eu me recordo de ter manjericão roxo, manjerona e sálvia.

Seguindo as instruções do vendedor, basta regar um dia sim e outro não, colocar em um local com bastante luminosidade e colocar um fertilizante a cada 2 meses. Go, go verdinhas!

Casa Arrumada: Panela de Pressão Elétrica

4 jan

Panela de Pressão Elétrica BP5L - Britânia

Não tenho fogão na minha kit (cara de espanto)! A minha cozinha é muito pequenina, então tive que optar em ter um fogão e mais nada ou um cooktop de uma boca. Se optasse por um fogão seria daqueles bem vagabonds, e logo que me mudasse teria que dar para alguém que quisesse…então, optei por um cooktop de uma boca (post mais adiante), armários para alimentos e utensílios e aparelhos elétricos!

A princípio estava procurando uma panela de pressão com fundo triplo de inox, pois era a única que funcionaria com a minha cooktop de vitrocerâmica, só que estas custavam mais ou menos R$360,00. O mesmo valor da panela de pressão elétrica na época. Arrisquei e me dei bem!

Comprei uma panela de pressão elétrica da Britânia, pois pensei que se houvesse algum problema seria muito mais fácil o conserto ou reposição de peças. Porém, hoje, procurando em lojas virtuais, todas estavam com o produto esgotado, inclusive na loja virtual da Britânia. Será que descontinuaram o produto? Encaminhei um e-mail para o SAC, postarei a resposta assim que receber.

Voltando a panela, excelente custo-benefício! Ainda mais para pessoas medrosas e desligadas como eu, pois não corremos o risco da panela explodir. Ela possui timer que logo no primeiro uso você se sensibiliza com o tempo necessário para cozinhar. É super prática, pois o recipiente é removível, sendo assim facílimo a limpeza. Adoro batata recheada, e faço direto. Já fiz macarrão com molho (tudo mesmo) e ficou incrível, pois o molho aderiu bem na massa. Também já fiz peito de frango para desfiar, legumes para picar. Vou colocar uma listinha com as receitas neste post assim que eu for utilizando a minha querida panelinha!

1) Milho Verde: 15 minutos e o sabugo vai estar maciozinho!

Organização de Pia Pequena

21 dez

Kitnet, cozinha minúscula, pia que condiz. Esqueça as cozinhas gigantes da época da sua infância! A não ser que você seja uma pessoa abonada e com o retro para a lua, nós pessoas normais de classe média-baixa fazemos o nosso ninho de amor em menos de 55 m2. E com olho neste mercado, as empresas do setor estão se sacudindo para adaptar a nova realidade.

Adquiri recentemente um item muito interessante: dispenser de detergente, esponja e paninho de limpeza da Coza por R$17,50 na Casa China aqui em Curitiba.  Muito prático, design bonito, economiza espaço e o fator mais importante: o paninho fica estendido secando evitando assim de criar mofo. Sacada genial da Coza, fabricante nacional.

Dispenser detergente, porta esponja e varal para paninho de pia da Coza

Outro item legal, mas simples e eficaz, que adquiri na Casa China, foi uma lixeira de pia da Plasvale por R$6,00, com capacidade para 1,4L. O que me chamou a atenção nessa lixeira própria para a pia, é que é retrátil, fácil de abrir e fechar, e a tampa fica paradinha no lugar enquanto descascamos um alimento ou jogamos o restinho da pia, fora que o saquinho para descarte fica bem firme. Bom, bonito e barato.

Lixeira de pia Plasvale - tampa retrátil

Estou a procura de um escorredor dobrável e resistente. É muito útil para pias com cubas pequenas, afinal guardando o seu escorredor ou deixando no cantinho, ganha-se mais espaço para a alquimia na cozinha. Portanto, fica para a minha lista de desejos um escorredor dobrável, como o modelo abaixo:

Escorredor Dobrável - Arthi - R$46,50 na Magazine Luiza ou nas Casas Bahia